Arquivo de maio, 2009

Por Carine Biscaro

faca

O programa Faça e Aconteça do Sebrae/SC  oferece cursos online e gratuítos na área de gestão empresarial.
O enfoque dos cursos é bem prático e dá uma noção geral das principais áreas que compõem uma empresa, que são:
– Gestão e Estratégia Empresarial;
– Marketing;
– Recursos Humanos;
– Finanças;
– Processos e
– Custos

A duração do programa varia conforme o ritmo do participante. No entanto, estima-se em média 10 dias para executar cada módulo ou 60 dias para concluir os 6 módulos.

Diferenciais
–  Totalmente gratuito;
–  Pode-se fazer em casa ou no trabalho, bastando ter conexão com a internet;
–  O participante determina seu horário;
–  Não há nenhum pré-requisito para quem deseja se inscrever
No momento o site disponibiliza um formulário de inscrição para que o candidato reserve sua vaga.
Segundo informações do programa, em breve novas vagas serão abertas.

 

Maiores informações:
Site Site: www.facaeacontecasebrae.com.br
Fone: 0800 7272802

Você já viu o TED?

Publicado: 27/05/2009 por rapidoerasteiro em Trabalho & Carreira
Tags:, , , , ,

por Marcus Rocha

Não, o TED não é uma pessoa, mas um projeto iniciado em 1984 para realizar conferências e palestras com pessoas nas áreas de Tecnologia, Entretenimento e Design. Com o passar dos anos e com a proliferação da internet, os assuntos foram ampliados e as palestras também.

Hoje, o site www.ted.com traz vídeos com palestras que vão além do “TED”, também trazendo idéias sobre Negócios, Ciências, Cultura, Artes e Questões Globais. Os vídeos exibidos no site são em inglês, mas o TED é global: algumas das palestras já têm legendas em até 43 idiomas diferentes, e as traduções continuam avançando, uma colaboração da Nokia com o projeto.

Para nós, que falamos o Português do Brasil, o link para acessar os vídeos já traduzidos para o nosso idioma é http://www.ted.com/index.php/translate/languages/por_br .

Recomendo o acesso periódico ao site, que tem palestras muito interessantes, feitas por pessoas também muito interessantes. Com certeza, são informações que podem ser muito úteis não apenas no nosso trabalho, mas também na nossa vida pessoa.

Como o próprio site diz: TED – vale a pena espalhar idéias.

Por Carine Biscaro

sis

Atualmente faço parte do projeto SIS (Sistema de inteligência Setorial) do Sebrae de SC. É um projeto inovador, em nível nacional e que é conduzido pela empresa onde trabalho, a Knowtec,
empresa com expertise em Inteligência Competitiva (IC).

O que me deixou muito motivada essa semana foi ver uma ação concretizada. E esta ação era levantar um case de sucesso, dentre alguns empresários, que haviam aplicado IC em seu trabalho e também passar o case ao grupo de pesquisadoras do qual faço parte, afim de motivar a equipe (demonstrar a importância do trabalho de pesquisa para o cliente).

 Confesso que no início fiquei apreensiva se conseguiríamos atingir os resultados ao qual nos propomos.
Achei que o resultado seria mais abstrato, o que para minha surpresa não foi. Entrevistamos o empresário e nas colocações dele, percebemos que ele entendeu o espírito da coisa e já vem aplicando sistematicamente a IC em suas tomadas de decisões.

 Também com relação a equipe de pesquisadores, ficou visível que ao ouvirem a entrevista em audio do
empresário os olhinhos brilharam, foi emocionante ver todos se sentindo parte de um bem maior. Valeu até
um post no Blog da pesquisadora Maria Carolina.

Para ficar mais “palpável” o que estou falando, deixo a entrevista postada no Portal SIS esta semana:

 
Em tempo de crise, participante do SIS em Coronel Freitas lança novos produtos e aumenta faturamento
Data: 20/05/2009
Autor: Talita Garcia
 

buffon

“O SIS é uma das principais vantagens oferecidas pelo APL”, afirma dono da Industrial Buffon, que usou informações de relatório para tomar decisões que impulsionaram seu negócio.

 
Quando o micro empresário de móveis Etelmir Buffon pensou em fabricar um produto diferenciado em Coronel Freitas, no oeste de Santa Catarina – empolgado com as novidades que vira numa feira em São Paulo –  deparou-se com uma dificuldade que o deixou de mãos atadas por mais de três meses: falta de informação. O que Etelmir precisava era razoavelmente simples. Ele queria localizar o nome de alguns fornecedores de junco sintético – fibra que se mostra mais resistente que as naturais às ações do tempo e do clima, usada na confecção de móveis e também, por exemplo, em detalhes de objetos de decoração. “Aqui na nossa região não conheço ninguém que fabrica junco. Levei amostras que trouxe da feira até alguns fornecedores de matéria-prima e ninguém conhecia aquele produto. Cheguei a ligar para pessoas que produziam esse material, mas eles não vendiam para fábricas, apenas para seus próprios consumidores” – conta Buffon, que há dezesseis anos se dedica à produção de mobiliário. Em busca de respostas e na tentativa de solucionar o problema, o empresário viajou a Pinhalzinho, cidade próxima a São Miguel do Oeste, onde participou de uma reunião do APL local para apresentação do Sistema de Inteligência Competitiva Setorial (SIS) do Sebrae/SC. O termo “inteligência competitiva”, naquele momento, era novo para Buffon, mas ele percebeu ali a chance real de encontrar as informações que necessitava e que o possibilitariam, pouco tempo mais tarde, lançar em Coronel Freitas, em plena crise financeira, cadeiras e mesas com detalhes em junco, diferenciadas, inovadoras e competitivas – e lucrar com isso.

 
O aumento da competitividade dos empresários é um dos objetivos da equipe que comanda o SIS, lançado em 2007 e considerado neste ano um dos três melhores projetos de IC do país pela Associação Brasileira dos Analistas de Inteligência Competitiva (ABRAIC). Gestor estadual do projeto, Douglas Luís Três explica que o intuito do Sebrae/SC com esse trabalho é incentivar o uso da inteligência competitiva (IC) como um incremento inovador à gestão das micro e pequenas empresas inseridas nos APLs foco do projeto: Móveis de Madeira (Pinhalzinho), Mel (Videira), Calçados Femininos (São J. Batista) e Vestuários (Criciúma). “IC significa saber antes. Se sabe antes de fatores que podem influenciar seus negócios, o empresário se adianta à concorrência e conquista vantagens. Decide primeiro o que precisa fazer, porque tem informações tratadas e estratégicas para isso” – explica Douglas. Segundo ele, o SIS deve ser visto como um auxiliar para os empresários no processo decisório, fundamental para o sucesso de uma empresa. 

 
Tomar decisões foi o que fez Buffon depois da visita a Pinhalzinho. E ele não tomou apenas uma decisão, mas uma série delas. A primeira medida foi providenciar um cadastro no portal do SIS na internet e solicitar à equipe de pesquisadores e analistas do projeto um relatório particular (chamado, em linguagem técnica, de ad hoc), com os nomes de alguns estabelecimentos que vendessem a matéria-prima que ele queria, o junco sintético. “Em quinze dias eu recebi um documento com todas as informações que necessitava. Escolhi cinco fornecedores, solicitei amostras e optei por comprar o junco de um deles, do Rio de Janeiro. Depois disso, pude dar sequencia à fabricação dos produtos que eu queria fazer” – lembra o empresário. A Buffon Industrial Ltda. passou a produzir então duas novidades na região: cadeiras com encosto de junco sintético e mesas com acabamentos feitos em fibra, nas emendas entre os pés e a tampa superior. O empresário confeccionou o mostruário, levou protótipos para avaliação em lojas e lançou os produtos no mercado.
Para o empresário, a crise econômica tem impulsionado a procura, pelos donos de lojas, por produtos que chamem a atenção do público com algum diferencial. Com isso, os conjuntos de mesas e cadeiras que está vendendo aos lojistas têm aumentado o faturamento da sua empresa, que tem clientes em toda Santa Catarina, parte do Rio Grande do Sul e Sudoeste do Paraná. Hoje, segundo Buffon, 50% de tudo o que vende é confeccionado com junco. A outra metade do lucro vem dos estofados – que representavam antes quase o total de vendas da empresa.

 

 Desafios e participação

 

O SIS é gratuito, usa ferramentas e tecnologia de ponta e já trouxe resultados e vantagens competitivas para diversos micro e pequenos empresários em Santa Catarina. Mesmo assim, a sensibilização de novos participantes e a conscientização de que o uso da IC precisa ser um processo continuo – e não esporádico – ainda é um desafio para quem está por trás de todo o processo de coleta, análise e disseminação de informações. Para o assessor de planejamento do Sebrae/SC, Marcondes da Silva Cândido, a principal tarefa pendente para a equipe do SIS é a incorporação definitiva da inteligência competitiva no cotidiano das empresas como instrumento essencial à tomada de decisão. “Uma única informação estratégica não garante o diferencial competitivo de uma empresa inovadora, que precisará usar continuamente a inteligência competitiva em sua gestão de negócios para ter sucesso”, diz Cândido. 

Dentre aqueles que já se deram conta da importância e do impacto que uma informação qualificada pode provocar, está Etelmir Buffon. “Considero o SIS uma das principais vantagens oferecidas pelo APL. Ainda podemos utilizá-lo muito mais, à medida em que solicitamos novas pesquisas”, diz o empresário de Coronel Freitas, que prepara o lançamento de outros produtos fabricados com junco sintético e ainda providenciou a remodelagem dos berços que a Buffon Industrial produz, depois receber do SIS um relatório com as normas técnicas que regulam a produção desses móveis no Brasil.  “Vamos eliminar o que temos feito de errado e lançar berços que estejam dentro das normas, assim evitamos acidentes e problemas futuros”, afirma. “Não adiantaria de nada recebermos informações do SIS e não aplicá-las posteriormente. Faremos as adequações necessárias e depois solicitaremos novas informações”.

Por Carine Biscaro

childrensAgora a tarde uma notícia me chamou a atenção na Revista Época, cuja chamada era: Hospital transmite cirurgia pelo Twitter. Como assim!!! pensei eu e perguntei para meu ilustre chefinho Gian: – Mas como assim??  Twitter não é só mensagens de texto??? Ele disse: – sim, eles devem ficar contando o passo-a-passo a cirúrgia. – Passo-a-passo?  perguntei eu. – Sim, respondeu ele. – Eles devem escrever.. agora cortaram o rim, agora costuramos, agora me passe a tesoura…hehehe.

Brincadeiras a parte… como diz o autor da matéria na Época: – Parece Bizzaro!!!! Mas relações públicas do hospital, os quais ficam alimentando o Twitter,  se valeram da nova tecnologia para proporcionar aos parentes e internautas em geral o acompanhamento sobre como é feita a cirurgia e também fazem apelos para doação de órgãos, com links informativos.

Até que achei essa idéia legal !! Claro que, em casos em que a cirurgia tenha a máxima chance de ser bem sucedida.. senão imagine como ficam os familiares e  amigos dos  transplantados caso alguma coisa dê errado! Melhor nem pensar.

Ai vai o link da matéria:

http://colunas.epoca.globo.com/bombounaweb/2009/05/18/hospital-transmite-cirurgia-pelo-twitter/#post-1581

Novo link fazendo a diferença

Publicado: 18/05/2009 por rapidoerasteiro em Outros
Tags:, , , ,

Quem também está fazendo a diferença é o nosso amigo e colega, professor Fernando Palermo.

Recomendados o Blog Fala Palermo, que segundo o próprio autor é “um blog de palavras e idéias”. Tem muitas dicas sobre comunicação e marketing, entre outros assuntos interessantes e está lá na nossa lista de “links que fazem a diferença”.

Com certeza, vale a pena o acesso periódico ao blog.

Cão amigo que fez a diferença!

Publicado: 16/05/2009 por fazeradiferenca em Sem categoria

Por Carine Biscaro

Final de semana… ai vai um post light de um cãozinho fofo que
deixou aflorar seu sentimento de gratidão e protegeu até o último instante seu “paicão adotivo”
correndo atrás da viatura de policiais que levaram seu amigo afim de salvá-lo.

O vídeo diz mais que mil palavras.. veja aqui!

por Marcus Rocha

Para quem estuda o marketing na internet, com certeza já deve ter se deparado com o case Zona Incerta, do Guaraná Antárctica. Apesar de ter grande disseminação via internet, contando com o fenômeno do Marketing Viral, o Zona Incerta foi uma iniciativa multimídia (utilizou até cartazes nas ruas), sendo considerado um ARG (“Alternate Reality Game”, ou “Jogo de realidade alternativa”, em tradução livre). ARG, portanto, não tem nada a ver com Argentina, é uma tática de marketing muito utilizada por grandes empresas para promoção de produtos, ou lançamentos especiais. A parte interessante é que o “jogo” acontece na vida real, a partir de pistas plantadas em diversos lugares, principalmente na internet. E é utilizada por grandes empresas porque precisa utilizar vários veículos/mídias/meios de comunicação e, portanto, o orçamento normalmente não cabe no caixa de empresas menores.

O primeiro ARG que se tem notícia foi realizado para promover o filme “Inteligência Artificial”, de Steven Spielberg. O jogo teve duração de aproximadamente quatro meses e contou com a participação de mais de 7.000 pessoas, que dedicavam muitas horas de seus dias à solução de enigmas e busca de pistas sobre diversos personagens fictícios.

Voltando ao Zona Incerta, a história começou com a criação do site www.zonaincerta.com.br pelo cientista Miro Bittencourt, para decifrar documentos antigos escritos em código. De repente, cartazes começam a aparecer em várias cidades do Brasil e o suposto cientista (que nem existia) sumiu, deixando o site para o seu irmão, Gastão Bittencourt. Daí em diante, seguem-se vários episódios dignos de filmes de mistério, culminando com a descoberta de uma ONG que estava associada à empresa Arkhos Biotech, que dizia querer privatizar a Amazônia. O impacto da campanha foi tão grande que ecoou até no Senado, com um inflamado discurso do Senador Arthur Virgílio contra a Arkhos.

Enfim, o site Zona Incerta continua no ar e para quem não conhece a história, recomendo uma visita, que tem o resumo dos principais momentos da “trama”. Entre esses momentos, segue abaixo vídeo do Youtube, com uma suposta reunião na Arkhos, para discutir a compra da Amazônia: