Posts com Tag ‘Gestão’

42-18490812

Por Carine Biscaro

Saiu uma matéria bem interessante na UOL Economia hoje sobre o tema: abertura de um negócio próprio.
O administrador de empresas, CEO (diretor executivo) das empresas Talk Interactive e Knowtec (esta última a empresa em que trabalho) e coautor do livro “Viagem ao Mundo do Empreendedorismo”, Luiz Alberto Ferla, falou de forma bem clara e objetiva alguns direcionamentos que se deve ter antes de se aventurar em um negócio. Vale a pena a leitura:

Quer abrir um negócio próprio? Confira se você está preparado
Da Redação – UOL Economia
  
SÃO PAULO – O sonho de ter um próprio negócio faz parte dos planos de muitos profissionais. Entrentanto, por nunca ter administrado uma empresa antes, este objetivo pode causar bastante dor de cabeça se não for bem planejado. Será que você está preparado para abrir um negócio próprio?

De acordo com Luiz Alberto Ferla, administrador de empresas, CEO (diretor executivo) das empresas Talk Interactive e Knowtec e coautor do livro “Viagem ao Mundo do Empreendedorismo”, o primeiro passo para quem deseja ser empreendedor é desenvolver um plano de negócio.

“Trata-se de um documento no qual são colocadas as principais características do futuro negócio. Com isso, é possível avaliar se ele será lucrativo ou não. É uma importante ferramenta na prevenção de surpresas desagradáveis depois que o negócio já estiver funcionando, como a dificuldade de encontrar fornecedores, investir em novos produtos ou ainda descobrir se o investimento de capital foi ou não suficiente”.

Análise

Com um plano de negócio estruturado, Ferla destaca que o profissional precisa avaliar alguns aspectos antes de abrir um negócio próprio. O primeiro deles é o conhecimento do mercado no qual irá atuar. “Ter familiaridade com a área de atuação é importante para o êxito do negócio. Geralmente, quando se conhece o assunto, fica mais fácil negociar com fornecedores, saber o que diferencia um produto do outro, por exemplo. É preciso saber o terreno onde se pisa”.

Depois, o administrador ressalta que é necessário fazer uma pesquisa de mercado, para checar se este negócio terá clientes e concorrentes. “Saber quem serão seus futuros clientes é extremamente importante. Se você deseja deseja abrir uma mercearia no bairro onde mora, vale fazer uma consulta prévia com alguns moradores para estar seguro de que um comércio deste gênero é bem vindo na região. Outra dica é procurar ajuda especializada”.

Além disso, o profissional deve ter consciência de que seu negócio pode demorar a apresentar lucro. “É preciso estar ciente de que os ganhos só poderão ser medidos após seis meses, ou mais, a partir da abertura do negócio. Por isso, é fundamental ter capital de giro e, de preferência, também um fundo de reserva para alguma emergência”.

Outro aspecto importante para se pensar diz respeito aos riscos do negócio. “Todo negócio tem um período de amadurecimento. Ao longo desse tempo, podem ocorrer altos e baixos, que fogem ao controle ou planejamento inicial do empresário, como uma crise na economia. Por isso, o empreendedor tem de estar certo de que, se perder o dinheiro investido no negócio, não terá sua vida financeira destruída”, lembra Ferla.

Por ser difícil trabalhar sozinho, o empreendedor precisará da ajuda de outros profissionais. Logo, ele deve pensar se será preciso contratar pessoas. “É importante checar se há profissionais qualificados no mercado para a sua área de atuação, informar-se de como contratá-los e verificar se será mais vantajoso terceirizar o serviço, sempre analisando os custos que isto acarretará para a empresa”.

Tempo

O tempo de dedicação para que o negócio seja bem-sucedido também deve ser calculado pelo profissional.

“É importante estar ciente de que, a partir do momento em que se decide abrir um negócio, envolver-se oito horas por dia, durante cinco dias por semana, certamente, não será o suficiente. Não basta ter boas ideias, boa localização, produtos de qualidade, mão-de-obra qualificada, se não investir na boa administração e, para isso, é preciso ter tempo. Portanto, deve-se analisar se o tempo de dedicação será total ou parcial e, se preciso for, transferir essa responsabilidade para uma pessoa capaz e de confiança”.

Dinheiro e satisfação

Checando todos esses aspectos, para transformar uma ideia de negócio em realidade, o profissional precisa verificar quais são as suas condições financeiras para abrir um negócio próprio. “É de suma importância avaliar o valor do investimento inicial para abertura de um negócio. E o plano de negócio facilita esse cálculo. O melhor é inciar sem dívidas. Quando isso não for possível, é preciso planejar para que o pagamento do empréstimo não ultrapasse os lucros esperados pela empresa”.

Por último, na opinião de Ferla, o profissional tem de verificar se este trabalho proporcionará felicidade. “Gostar da área em que vai atuar é importante para criar um ambiente favorável ao sucesso do negócio. Trabalhar com prazer e dedicação vai tornar o dia-a-dia do empresário mais agradável e, consequentemente, mais produtivo”.

Anúncios

por Marcus Rocha

Uma das principais dúvidas em relação a iniciativas de marketing na web 2.0 é o cálculo do ROI – Retorno sobre o Investimento. Apesar da possibilidade de se medir quase tudo na internet, muitas das ações acabam ficando sem indicadores objetivos, ou até mesmo sem nenhum indicador.

Ações no Twitter são um exemplo disso. Realmente, a ferramenta de microblogging é um excelente canal de relacionamento não apenas entre pessoas, mas também entre empresas e pessoas. Assim, muitas empresas pegaram carona nessa “moda” das Redes Sociais e começaram a investir nisso. A parte boa é que essas empresas parecem realmente ter a vontade de estabelecer relacionamentos com o seu público. O problema é que essas ações na sua grande maioria não têm objetivos muito claros e, portanto, depois de um tempo acabam esfriando ou são canceladas para que os recursos sejam investidos em ações de retorno mais concreto.

Mas parece que algumas empresas estão realmente entendendo que a web 2.0 deve ser utilizada pelas empresas como mais um canal de relacionamento com o seu público-alvo, que deve ser coerente com todas as demais ações estratégicas das mesmas. Na semana passada eu li no Blog Idéia 2.0 que a Dell já tem um modelo de negócios no Twitter, e já conseguiu medir cerca de 3 milhões de dólares em faturamento a partir de compras iniciadas pela ferramenta de microblogging, especificamente para a linha “Dell Outlet”, que vende computadores recondicionados por preços mais baixos.

A Dell realmente descobriu “o pulo do gato” do uso do Twitter: por vender computadores recondicionados, o estoque da Dell Outlet é bastante variável. Portanto, o Twitter cai com uma luva para avisar sobre novidades, promoções e até para dar cupons de desconto virtuais para os seguidores. Ou seja: a Dell seguiu à risca as boas práticas para o uso de tecnologia, considerando um objetivo claro, um estudo/revisão dos processos, a busca da ferramenta mais aderente e, por fim, a implantação do sistema como um todo, onde as pessoas são peças chave.

Para quem se interessou, basta acessar o perfil @DellOutlet no Twitter e conferir.